Potencial uso dos caroços de frutas na indústria de alimentos

O desperdício de alimentos é uma preocupação global. Estima-se que um terço de todos os alimentos produzidos para consumo humano sejam perdidos ou desperdiçados, representando cerca de 8 a 10% das emissões globais de gases de efeito estufa. O aumento do desperdício gerado durante a produção de alimentos representa uma oportunidade para reduzir o impacto ambiental do sistema agroalimentar. A Kern Tec, com sede na Áustria, está aproveitando essa oportunidade: a startup está se juntando a indústrias do setor de frutas para criar ingredientes B2B para a indústria alimentícia.

Potencial dos caroços de frutas que o caroço é desprezado

Empresas de sucos, que trabalham com frutas de caroço, como damascos, cerejas ou ameixas, produzem muito lixo. Isso porque dentro dos próprios caroços, as sementes apresentam amigdalina, substância química que é convertida em cianeto. Porém, o caroço de algumas frutas têm um grande potencial, devido ao seu valor nutricional: dependendo da variedade de damasco, por exemplo, um grão pode conter até 23% de proteína. Eles também são ricos em gorduras insaturadas e vitamina E. Como atualmente não há oferta, nem demanda, para sementes de frutas com caroço, os quatro cofundadores da Kern Tec tiveram que começar do zero.

O grande problema para a utilização destas sementes é o cianeto. Para usar os grãos na indústria alimentícia, a amigdalina deve ser removida. A Kern Tec não foi o primeiro a abordar este problema: as tentativas anteriores ferviam os grãos, o que remove seu gosto e funcionalidade. Assim, a startup desenvolveu uma tecnologia inovadora e exclusiva, que ainda não foi patenteada, e que permite manter a qualidade, o sabor e a funcionalidade dessas sementes.

O leite destas sementes seriam mais sustentáveis?
Por serem obtidos a partir de partes dasfrutas que são descartadas pela indústria, eles podem ser considerados mais sustentáveis, à medida que, diminuem o desperdício gerado durante a produção de alimentos. Em breve, o leite obtido das sementes de damasco, como alternativa ao leite, será lançado no mercado.

Ainda, há a possibilidade do desenvolvimento de farinhas a partir destas sementes, sem glúten e com grande quantidade de proteína. Entretanto, elas não são alternativas para a farinha de trigo, mas, podem substituir em pelo menos 10 a 20% em uma receita. Seu benefício está no perfil nutricional, que é rico em proteínas e minerais, bem como seu sabor. Essa propriedade pode auxiliar para mascarar o sabor de farinha de ervilha ou de soja e o melhor, de forma sustentável.

Fonte: Food Navigator

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui