57% dos brasileiros acreditam que cuidarão mais do bem-estar após a pandemia

Uma pesquisa online realizada pela Ipsos, em parceria com o Global Institute for Women´s Leadership, aponta as tendências após a pandemia da COVID-19, no Brasil e no mundo em diversos aspectos, como saúde, família, emprego e solidariedade.

57% dos brasileiros cogitam realizar ações para melhorar a saúde e o bem-estar. Apesar de estar nove pontos percentuais acima da média global, que é de 48%, o Brasil fica atrás de Peru (73%), México (69%), África do Sul (68%), Malásia (62%) e Índia (60%). Para 19% dos brasileiros entrevistados, nada deve mudar nesse sentido após o fim da pandemia e 12% acham pouco provável realizar qualquer mudança que melhore a saúde e o bem-estar.

Os dados foram obtidos a partir de uma amostra de 20.520 entrevistados, sendo 1.000 brasileiros, com idade entre 16 e 74 anos, de 28 países, colhidos entre 22 de janeiro e 05 de fevereiro de 2021 e a margem de erro para o Brasil foi de 3,5 pontos percentuais.

Ainda, 44% dos brasileiros dizem que pretendem dedicar menos tempo ao trabalho e mais tempo à família, após a crise causada pela COVID-19. Para 27% dos brasileiros, a rotina em relação ao trabalho não deve mudar no pós-pandemia. Já 17% acreditam que essa possibilidade de inverter prioridades é pouco provável. Na média global, 37% dos respondentes pensam que trabalharão menos e darão mais tempo às relações familiares.

Fonte: Pharma Innovation

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui