Quais as tendências da indústria de alimentos em 2021?

A pandemia do novo coronavírus transformou os hábitos de consumo dos brasileiros, o que exigiu que a indústria de alimentos se adaptasse às mudanças e às demandas dos consumidores. 

Um dos principais fatores que impactaram na forma de consumo da população brasileira tem a ver com o poder aquisitivo, sendo que segundo o IBGE, no fechamento do 2° semestre de 2020, mais da metade da população economicamente ativa estava fora do mercado de trabalho no país, além disso, muitos daqueles que continuaram trabalhando, tiveram redução do seu salário. Assim, este é o principal cenário a ser enfrentado pelo mercado de alimentos e bebidas: consumidores alterando seu padrão de consumo e buscando alternativas mais acessíveis. 

Além disso, há um cenário secundário: o grupo de consumidores que foram, em termos financeiros, menos impactados pela pandemia e que buscam um estilo de vida mais saudável, demandando inovações da indústria de alimentos, que também deve se preparar para atingir este público. Atualmente, já é possível encontrar produtos com melhor valor nutricional no mercado, como por exemplo, bebidas com maior teor proteico, chás funcionais e produtos à base de vegetais, que apesar de já estarem disponíveis nas gôndolas, atualmente ganham um novo motor propulsor para as suas vendas: a preocupação com a saúde trazida pela pandemia. 

Água mineral: Setor em crescimento 

Ainda, há algumas categorias que estão experimentando um crescimento: o setor de água mineral. Espera-se que este continue crescendo em 2021 e que propicie o desenvolvimento de novos produtos, como águas saborizadas ou novas marcas ou ainda, novos tamanhos e embalagens diferenciadas. 

Resiliência é a palavra-chave 

A palavra de sucesso da indústria de alimentos é resiliência: ter capacidade de adequar-se às demandas do mercado, estar atento a novas mudanças e ainda, estruturar melhor canais de e-commerce, de forma a atingir um maior número de consumidores, de forma prática, já que ainda é difícil determinar a velocidade de imunização de todos os estados do país, com a campanha de vacinação e de quando irá se normalizar a compra nas lojas físicas. 

Pilares da indústria de alimentos 

Inovação, portfólio diversificado, investir em e-commerce e revisar a forma de precificação dos produtos básicos, principalmente, atingindo assim, de forma igualitária, todos os nichos de consumidores em 2021. Espera-se que 2021 seja um ano mais previsível, diferentemente de 2020. Porém, é preciso atenção às quaisquer rápidas muadanças e demandas do mercado consumidor, com adaptações efetivas da indústria. 

Fonte: Food Connection 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here