A formulação magistral, termo utilizado para a prescrição de fórmulas manipuladas, destinadas à suplementação nutricional individualizada, vem evoluindo cada vez mais, inclusive, nas apresentações farmacêuticas inovadoras. Mas, por que escolher as formulações magistrais?

As vantagens da formulação magistral!

Essa forma de prescrever manipulados abre a possibilidade de oferecer tratamentos personalizados e únicos, que vão de encontro às necessidades específicas de cada paciente, levando em consideração a melhor via de administração, o veículo, a melhor forma farmacêutica e a dosagem específica, de acordo com o indivíduo e o ativo ou nutriente a ser prescrito, atendendo à risca à individualidade bioquímica do seu paciente, garantir uma prescrição individualizada e eficaz. Ainda, é possível eliminar e substituir excipientes que podem induzir reações adversas e que tenham melhor qualidade, e ainda melhorem a biodisponibilidade do ativo.

Existem legislações vigentes para nortear a prescrição magistral do nutricionista, como a  Resolução CFN Nº 656, de 15 de junho de 2020, além de livros e cursos específicos para agregar mais segurança na conduta clínica.

Forma farmacêutica – Inovação que auxilia na adesão ao tratamento e na sua eficácia:

Com o avanço da tecnologia na área farmacêutica, atualmente existem diversas e inovadoras apresentações farmacêuticas que podem ser utilizadas na hora da prescrição, porém, é importante lembrar que está vedado ao nutricionista produto que use via de administração diversa do sistema digestório. Confira abaixo um guia prático para você conhecer algumas das formas farmacêuticas inovadoras que você pode utilizar na sua prática clínica para prescrever diferentes nutrientes, ativos e probióticos:

Gel comestível – normalmente à base de diferentes tipos de carboidratos, é indicado para praticantes de atividade física, tendo rápida absorção. Pode ser utilizado pré, intra ou pós-treino, sendo prático.

Gomas, chicletes e pirulitos  – abrem uma gama de sabores e combinações, melhorando, inclusive, a aceitação de crianças ou para indivíduos que tenham dificuldade de deglutição. Além disso, podem ser utilizadas de forma a melhorar a adesão de adultos por ser uma forma inovadora. Inclusive, existem alguns ativos que apresentam uma maior biodisponibilidade nesta apresentação, como a cafeína veiculada em chiclete.

Shots – na forma líquida, em embalagem flaconete, que permite facilidade e praticidade. O shot é ideal para crianças, idosos ou pacientes com dificuldade de deglutição, além da efetividade em formulações pré e pós-treino. Além disso, o shot possui uma grande variedade de sabores, garantindo versatilidade na hora da prescrição.

Chocolate – pode ser utilizada uma base de chocolate funcional e com alto teor de cacau, na forma de bombons e até cremes. Incorpora diversos nutrientes e ativos, além de propiciar ainda mais benefícios, pelo fato de ser fonte de polifenóis, l-triptofano, entre outros.

Sachê – após a sua dissolução em veículo líquido, como água, pode se transformar em sucos, sorvetes, chás, cappuccinos, shakes e sopas. Sua forma individualizada proporciona maior praticidade de uso e de transporte, sendo indicado para aquelas formulações que combinam alta concentração de nutrientes ou ativos. Indicado para crianças e pacientes com dificuldade de deglutição, ou que precisam de uma forma prática para transportar o suplemento.

Iogurtes – são uma ótima aposta de fórmulas farmacêuticas diferenciadas, facilitando a adesão das crianças e até mesmo idosos aos tratamentos diversos. Existem bases de iogurte sem adição de açúcares.

É de suma importância que o nutricionista se certifique junto ao farmacêutico se a forma farmacêutica solicitada em prescrição é viável.

REFERÊNCIAS:

PASCHOAL, V. et al. Nutrição Clínica Funcional: Suplementação. Rio de Janeiro: VP Editora, 2015. v.I.

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS (CFN). Resolução CFN nº 656, de 15 de junho de 2020. Disponível em: < https://www.cfn.org.br/wp-content/uploads/resolucoes/Res_656_2020.html>. Acesso em: 11 jan. 2021.

PUJOL, A. P. Manual de Formulações Para Prática Clínica. Camboriú: Ed. do Autor, 2019.

IBEROMAGISTRAL. Por que e como trabalhar formas farmacêuticas diferenciadas? Disponível em: http://www.iberoquimica.com.br/blog/formas-farmaceuticas-diferenciadas/ Acesso em: 11 jan. 2021.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here