Janeiro Branco é uma campanha que ressalta a importância do cuidado da saúde mental. Segundo a OMS, mais de 300 milhões sofrem de depressão em todo o mundo, e outras desordens mentais também são altamente prevalentes na população, como os transtornos de ansiedade, com uma prevalência mundial de 12,6%, o que gera uma preocupação a nível de saúde pública.

Sabe-se que a nutrição é fundamental para o apoio à saúde mental, inclusive, na modulação do eixo cérebro-intestino, que atualmente sabe-se que este tem total relação com os distúrbios mentais.

Microbiota intestinal x Sistema Nervoso Central

A sinalização entre o trato gastrointestinal e o cérebro é regulada nos níveis neural, hormonal e imunológico, sendo vital para manter a homeostase corporal. A disbiose intestinal está correlacionado com várias doenças do sistema nervoso central, segundo evidências científicas, como por exemplo, uma menor quantidade de Bifidobacterium spp. e/ou Lactobacillus spp. resulta em indivíduos com maior transtorno depressivo. Além disso, a desregulação da microbiota aumenta o risco de desenvolver a transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (FURTADO; SILVA; WALFAL, 2017).

Psicobióticos: entenda esse termo!

Na recente revisão sistemática de Trembley et al. (2020), os autores identificaram 21 revisões e meta-análises de estudos clínicos randomizados sobre os efeitos dos psicobióticos nos sintomas de estresse, ansiedade e depressão entre janeiro de 2015 e setembro de 2020, o que reflete a importância desta área de pesquisa sobre o efeito dos psicobióticos na saúde mental.

Os psicobióticos são um grupo de microrganismos que auxiliam na regulação das funções relacionadas ao sistema nervoso central, por meio do eixo intestinal-cérebro, exercendo ação probiótica e com potencial efeito benéfico no tratamento de desordens mentais, pois podem auxiliar na regulação dos neurotransmissores e proteínas, incluindo ácido gama-aminobutírico, serotonina, glutamato e fator neurotrófico derivado do cérebro, efeitos associados ao equilíbrio excitatório-inibitório, melhora do humor, otimização cognitiva e modulação dos processos de aprendizagem e memória (CASTRO; PEREIRA;  OESTERREICH, 2020).

Confira os estudos na ciência sobre os psicobióticos!

Trembley et al. (2020) demonstram estudos com efeitos positivos e consistentes de alguns psicobióticos sobre os sintomas de depressão ou ansiedade. É importante ressaltar que, embora as revisões sistemáticas, geralmente, possuam uma visão geral dos psicobióticos, nem todos devem compartilhar os mesmos modos de ação ou resultar em resultados significativos, o que sugere que cada paciente pode apresentar respostas diferentes a diferentes formulações.

Com base no efeito positivo observados em pacientes com transtornos depressivos, com várias fórmulas e por meio de uma série heterogênea de ferramentas de avaliação, os psicobióticos parecem beneficiar tanto os indivíduos em risco ou diagnosticados com doenças neuropsiquiátricas ou neurodegenerativas que compartilham semelhantes mecanismos fisiopatológicos. Algumas linhagens microbianas probióticas podem melhorar as funções do sistema eixo cérebro-intestino, incluindo humor, ansiedade, depressão e resposta ao estresse, mediada pela modulação da inflamação e síntese de neurotransmissores.

Tratamentos com psicobióticos pode ser uma estratégia promissora para melhorar a qualidade de vida de pacientes que sofrem de transtornos de ansiedade e depressão. Mais estudos nesta área são necessários para determinar a eficácia e os mecanismos para que sejam considerados como terapia alternativa para a saúde mental.

 

Referências 

DINAN, T. G.; CRYAN, J. F. The Microbiome-Gut-Brain Axis in Health and Disease. Gastroenterology Clinics Of North America, Cork, v. 46, n. 1, p. 77-89, mar. 2017. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28164854/. Acesso em: 25 nov. 2020.

FURTADO, C. C.; SILVA, A. L. B. da; WALFALL, A. M. Psicobióticos: uma ferramenta para o tratamento no transtorno da ansiedade e depressão? Revista Unilus Ensino e Pesquisa, Santos, v. 15, n. 40, p. 137-151, jul. 2018. Disponível em: http://revista.unilus.edu.br/index.php/ruep/article/view/1039/u2018v15n40e1039. Acesso em: 25 nov. 2020.

MAGALHÃES-GUEDES, K. T.; ANUNCIAÇÃO, T. A. da; NASCIMENTO, A.a S. M. do. Psicobióticos na saúde mental contra transtorno da ansiedade e depressão. In: CASTRO, L. H. A.; PEREIRA, T. T.; OESTERREICH, S. A. Ciências da saúde: campo promissor em pesquisa. 7. ed. Ponta Grossa: Athena, 2020. Disponível em: https://www.finersistemas.com/atenaeditora/index.php/admin/api/artigoPDF/30876. Acesso em: 25 nov. 2020.

TREMBLAY, A. et al. The effects of psychobiotics on the microbiota-gut-brain axis in early-life stress and neuropsychiatric disorders. Progress In Neuro-Psychopharmacology And Biological Psychiatry, Montreal, v. 105, n. 110142, p. 1-10, mar. 2021. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0278584620304589?via%3Dihub. Acesso em: 25 nov. 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui