O futuro da alimentação pós-pandemia: você já pensou nisso?

Tendências e comportamentos dos últimos meses, podem preconizar como será a alimentação pós-covid.

E pode acreditar, as chances de as pessoas adotarem hábitos mais saudáveis, práticos, sustentáveis e reduzirem o consumo de ultraprocessados, são maiores. Conforme a pesquisa Alimentação na Pandemia Como a COVID-19 impacta os consumidores e os negócios em alimentação, realizada pelo Instituto Qualibest junto à consultoria Galunion, quando questionados sobre “que tipo de comida preparada fora de casa comprariam”, 75% dos entrevistados responderam que seria: comida gostosa, fresca e que ajude na imunidade, na saúde e na saúde da família.

Isso significa que é considerável o número de pessoas que buscam por uma alimentação mais saudável, saborosa e que, ao mesmo tempo, seja atrelada à melhora da saúde. Essa, conforme especialistas, é uma tendência que veio para ficar.

Por que as pessoas buscam opções saudáveis?

A mesma pesquisa mostrou que a busca por uma alimentação balanceada é algo que está presente na vida da população há muito tempo, mas que ganhou ainda mais relevo nos últimos tempos. Isso porque a alimentação saudável, como você nutricionista sabe, está diretamente ligada à saúde, bem-estar, equilíbrio e à imunidade.

Afinal, todo mundo deseja estar com o organismo mais protegido e forte, especialmente diante de um cenário mundial como o que estamos passando. Contudo, falando sobre a alimentação pós-covid, esse ponto de destaque vai além da preocupação com a saúde e passa a ser uma tendência real para o pós-pandemia.

Tecnologia, conforto e praticidade em alta

Além do fato que envolve a preocupação com a saúde e uma alimentação mais equilibrada, a pandemia fez, ainda, com que as pessoas começassem a passar mais tempo em casa. Por isso, comprar comida através de aplicativos e cozinhar em casa, são comportamentos que se tornaram, cada vez mais, parte da rotina.

Tudo isso, que foi iniciado como uma forma de minimizar os riscos de contágio, ao longo dos meses, se tornou parte da vida. As pessoas começaram a desenvolver dotes culinários e pegaram gosto por esse hábito. Além disso, passaram a apreciar mais o conforto de poder receber seus alimentos em casa.

Por isso, a busca por uma alimentação saudável e a valorização da praticidade e conforto, isto é, de pedir comida por aplicativos, sem precisar sair de casa, são duas das principais tendências que surgem no âmbito da alimentação pós-covid.

Outras tendências da alimentação

Além dos citados acima, a mesma pesquisa questionou, ainda, quais são as top 5 tendências culinárias/gastronômicas que consideram que continuarão a ser tendência mesmo após a pandemia, os tópicos mais citados, foram:

– 74% – Comida saudável, dietas funcionais (ex: alta proteína / sem glúten / sem lactose)
– 73% – Naturalidade / frescor dos alimentos
– 68% – Preocupação com sustentabilidade
– 60% – Valorização da marca / origem dos produtos
– 51% – Produtos livres de ingredientes artificiais (clean label)

Outras tendências que também apareceram com mais de 30% entre as percepções da população, foram: novidades em produtos plant based para substituir proteínas de origem animal e pães de fermentação natural. Juntas, essas respostas oferecem importantes insights sobre o futuro da alimentação daqui para frente.

Hábitos que devem ser mantidos

Ao longo do tempo, espera-se que a rotina volte ao que se chama de “antigo normal”, mas, sabe-se que alguns hábitos que foram adquiridos durante a pandemia, certamente não serão mais abandonados. O home office e/ou trabalho remoto, por exemplo, na maioria dos casos, pode ser instituído como permanente em grande parte das empresas, além de ter se mostrado positivo tanto para colaboradores quanto para os empresários.

Além disso, a maior seletividade na hora de sair de casa, bem como a busca por produtos mais sustentáveis, são alguns dos comportamentos que demonstram que vieram para ficar. O cuidado maior com a higiene é um hábito que deve se manter na rotina, assim como a atenção com os gastos financeiros. Quando se fala sobre hábitos mais genéricos que devem permanecer após a pandemia, pensando no quesito alimentação, existem alguns tópicos que precisam ser apontados.

Comportamentos alimentares que podem se tornar parte da rotina

Ecobags surgem como grande tendência na hora de fazer compras, evitando o excesso de sacolas plásticas. Além disso, montar e preparar um cardápio semanal de refeições também aparece como comportamento a ser adotado, a fim de reduzir a quantidade de deslocamentos até o supermercado e otimizar o tempo para o preparo de alimentos mais saudáveis e nutritivos.

O máximo aproveitamento dos ingredientes e evitar o desperdício de cascas, talos e folhas também aumenta, além da busca por formas de congelamento adequadas para evitar o desperdício. A preferência pela compra de produtos mais sustentáveis e inteligentes, com embalagens pensadas para causar menos impactos ambientais.

Compras feitas pela internet, por aplicativos também aumentam, assim como o consumo em comércios locais que sejam próximos ao lar. Finalmente, é importante ressaltar que, mesmo que ainda não existam comprovações científicas sobre a relação entre o consumo de determinados alimentos e o combate ao coronavírus, uma alimentação equilibrada e baseada em hábitos saudáveis, é uma ação que desempenha um papel importante na manutenção da saúde como um todo e na potencialização do sistema imunológico.

Além de todos esses benefícios, vale ressaltar também o aumento da sensação de bem-estar para vivenciar a rotina.

Fonte: Vitao

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui