Notícia sobre a contaminação de frango brasileiro pelo novo coronavírus começou a circular na China, se espalhou pelo mundo e coloca em risco a importação do mercado de carnes.

Na última semana, a notícia de que a China detectou a presença do novo coronavírus em asas de frango congeladas importadas do Brasil, gerou grande comoção entre a população e o mercado. Embora o governo brasileiro não tenha sido oficialmente notificado sobre o caso, a queda de importações do segmento pode acontecer, sobretudo, para o mercado chinês.

Em fevereiro de 2019, Pequim já tinha implementado tarifas antidumping pesadas sobre a carne de frango brasileira por um período de cinco anos, com tributação entre 17,8% e 32,4%.

Vale lembrar que os impactos podem ser significativos, pois o Brasil é, de longe, o maior produtor mundial de carne de frango e, em 2017, era o principal fornecedor de frango congelado para a China, com um valor de importação anual aproximado de US$ 1 bilhão, representando cerca de 85% das importações do país asiático. Desde então, o Brasil vem perdendo participação nesse mercado para a Tailândia, Argentina e Chile.

Vale lembrar que a última morte causada pelo novo coronavírus na China, foi registrada em meados de maio, enquanto o Brasil é o segundo país do mundo mais atingido pelo vírus, depois dos Estados Unidos.

Como medida de contenção de riscos, em meados de julho, a China já havia bloqueado importações de seis frigoríficos brasileiros devido a preocupações sobre o coronavírus, especialmente diante das notícias de milhares de casos da doença entre os trabalhadores da indústria frigorífica.

Fonte: UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui