O levantamento, que trata sobre o estado de saúde geral e doenças crônicas da população, aponta mais de 100 milhões de brasileiros acima do peso.

O Ministério da Saúde divulgou os resultados da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2019, pesquisa que realiza um levantamento sobre o perfil da população brasileira em relação às doenças crônicas mais comuns. Desde o início do monitoramento, em 2006, o dado mais alarmante é o aumento da obesidade, que saltou de 11,8% para 20,3%, em 2019.

A pesquisa mostrou, ainda, que 55,4% dos brasileiros se encontram com excesso de peso, condição que tende a aumentar conforme o aumento da idade. Entre jovens de 18 a 24 anos o percentual é de 30,4%, já entre adultos com 65 anos ou mais, o percentual sobe para 59,8%.

Além disso, a escolaridade se mostrou um fator influente para a redução da incidência do excesso de peso, que foi de 61% para pessoas com até oito anos de estudo e 52,2% para os que tiveram 12 ou mais anos de estudo. Conforme a pesquisa, 7,4% dos brasileiros são diabéticos e 24,5% hipertensos.

De acordo com a pesquisa, o consumo de frutas e hortaliças é maior entre as mulheres em comparação com os homens. A pesquisa toma como base o valor recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de pelo menos 400 gramas de frutas e hortaliças, ou o equivalente a cinco porções diárias desses alimentos.

 Confira a pesquisa completa aqui.

Fonte: CFN/Ministério da Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui