Com o cenário da pandemia do novo coronavírus, a Sociedade Brasileira de Diabetes apresenta dicas para facilitar a nutrição saudável de crianças com e sem diabetes

A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) alerta para os cuidados com a alimentação de crianças e jovens para manter a imunidade. Com o fechamento das escolas públicas e privadas e, o crescimento exponencial de casos do novo coronavírus confirmados no Brasil, muitas crianças tiveram de ser afastadas de suas atividades, modificando também a rotina de seus responsáveis. Para auxiliá-los com a alimentação, considerando possível cenário de restrições à prática de atividades físicas, a SBD organizou algumas dicas para facilitar a promoção de uma nutrição saudável de crianças com ou sem diabetes. 

Para a nutricionista Silvia Ramos, coordenadora do Departamento de Nutrição, Exercícios e Esporte em Diabetes da SBD, nesses dias atípicos que se sucedem, é necessário planejar os itens a serem ofertados. Assim, evita-se em erro comum: refeições e lanches com excesso de um determinado grupo de nutrientes e a falta de outros importantes para o desenvolvimento infanto-juvenil.

“É fundamental lembrar que as crianças e jovens, independente de terem ou não diabetes, necessitam de uma boa alimentação. Ao considerar este cenário de pandemia, esse cuidado torna-se ainda mais importante, visto que ajuda a manter a imunidade elevada e, nos casos de crianças e jovens com diabetes, evita-se maior vulnerabilidade ao Covid-19”, diz Silvia.

Com a redução de atividades comuns do dia a dia, as crianças e jovens passam a ter sua necessidade calórica diária reduzida devido a diminuição do seu fator de atividade, necessitando assim, de um menor número de alimentos. Em contrapartida, a mudança do cenário pode gerar um quadro de ansiedade levando a vontade de comer e, por este motivo, mesmo sem aulas a rotina em casa deve ser planejada e se possível com a supervisão de um adulto.  

 

Montagem e preparo de pratos

É muito importante que a criança participe do preparo de da montagem de pratos e lanches, essa interação favorece a aceitação alimentar, além de reforçar o vínculo familiar, possuem potencial lúdico e educacional e, promove a autonomia dos pequenos. As refeições devem, ser realizadas à mesa e o momento deve ser focado na alimentação sem outras distrações. 

No momento do preparo de lanches, a nutricionista ressalta a importância de se atentar a alimentos que parecem saudáveis, mas que são poucos nutritivos como os bolinhos prontos, achocolatados, refrigerantes, sucos de caixinha e salgadinhos. 

Deve-se evitar os industrializados e ultra processados de modo geral, pois em suas formulações, na maior parte das vezes, são ricas em açúcares, gorduras saturadas e aditivos químicos. Por isso, é fundamental buscar por alimentos naturais como primeira opção e dividi-los por grupos: energéticos, construtores e reguladores.  

 

Energéticos

Presente em carboidratos e lipídios, os alimentos energéticos são a base da pirâmide alimentar e proporcionam a energia necessária para exercer qualquer atividade física, desde as mais simples — como escovar os dentes e conversar — até as intensas como correr e praticar esportes.

 

Construtores

Sua principal fonte nutricional são as proteínas, que ajudam em toda a construção celular do organismo. As proteínas também exercem fator relevante na formação do ferro, cálcio, vitamina A, B1 e D. Quando a proteína e o ferro são se origem animal, possuem mais qualidades que a de origem vegetal, já que sua composição é mais completa. Já a vitamina B12 só está presente em proteínas animais.

 

Reguladores

São os alimentos compostos por vitaminas e sais minerais, responsáveis pela regulação do organismo. Eles dão suporte aos alimentos construtores e no sistema imunológico. Ricos em fibras, são encontrados facilmente em frutas, verduras e legumes.

Fonte: SBD

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui