O ISIN (International Society For Immunonutrition), disponibilizou para download seu posicionamento sobre nutrição, imunidade e COVID-19.

Pela falta de conhecimento acerca do novo coronavírus, sem imunidade adquirida pela população e nenhuma vacina para seu combate, as orientações nutricionais são, por tanto, consideradas adequadas neste momento. Principalmente para aqueles que são considerados grupos de risco com possibilidade de desenvolver a forma mais severa da infecção.

Já existem evidências cientificas relevantes sobre o papel da nutrição antioxidante e nutrientes que fortalecem o sistema imunológico. Assim, o ISIN aconselha a manutenção de uma dieta diversificada e equilibrada, rica em frutas e vegetais coloridos, de forma a aumentar a ingestão de nutrientes antioxidantes, para o fortalecimento do sistema imune.

Para os idosos a orientação é aumentar a ingestão diária de Vitamina E (134 mg – 800mg/dia), zinco (30 mg – 220 mg/dia), Vitamina C (200 mg – 2 g/ dia) e Vitamina D (10 μg – 100 μg/dia) principalmente para aqueles que apresentam deficiência dessa vitamina. Esses nutrientes atuam na melhora de rendimento das células T e B do sistema imunológico em adultos e idosos, segundos estudos já realizados.

É importante esclarecer que não há evidências especificas que tais medidas quando adotadas pelo nutricionista possam ajudar a proteger, ou mesmo diminuir os efeitos da infecção pelo COVID-19.  No entanto, é fundamental o aporte nutricional adequado para a manutenção da saúde de forma geral quanto ao fortalecimento do sistema imune, respeitando as DRIs para que não haja prejuízo da saúde, antes, durante e após a contaminação pelo COVID-19.  

Fonte: ISIN

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui