Ao longo de todo o ano, o Ibama apreendeu 8,16 toneladas de agrotóxicos irregulares nos estados do Amapá, Goiás, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Roraima e Tocantins.

Agentes ambientais federais fiscalizaram 93 propriedades rurais e aplicaram 46 autos de infração, que totalizaram cerca de R$ 3,4 milhões. A operação Ceres, prevista no Plano Nacional Anual de Proteção Ambiental (Pnapa), em sua fase mais recente, apreendeu 550 kg de produtos irregulares, em 9 municípios do Rio Grande do Sul. Os autos de infração somam R$ 150 mil e o produtor rural foi preso em flagrante.

Entre as irregularidades mais comuns observadas, foram: produtos vencidos ou trazidos ilegalmente do exterior, depósitos inadequados, reutilização de embalagens vazias e queima de resíduos.

Os agrotóxicos sem registro são ilegais no Brasil, pois podem gerar efeitos imprevisíveis ao meio ambiente e à saúde. Além disso, o contrabando desses produtos está, frequentemente ligado à evasão fiscal e ao tráfico de armas e entorpecentes.

A operação Ceres, além de coibir atos ilíticos relacionados a agrotóxicos ilegais, tem como objetivo evitar a contaminação hídrica, do solo e da fauna nativa, protegendo a saúde da população e dos trabalhadores rurais. O Ibama realiza, em estabelecimentos industriais, como complemento, a operação Circe, a fim de verificar se as condicionantes estabelecidas no registro dos produtos são efetivamente cumpridas.

 

Fonte: Ibama

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui