Estudo realizado pela FAO, aponta que se o desperdício de alimentos reduzisse em 25% em todo o mundo e, ao invés da lixeira, os alimentos fossem redistribuídos, mais de 870 milhões de pessoas poderiam ser alimentadas.

O estudo da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) surpreendeu ao dizer que, aproxidamente um terço dos alimentos produzidos no mundo não são consumidos. O que equivale a cerca de 1,3 bilhão de toneladas de alimentos que são desperdiçados, um montante que seria suficiente para alimentar dois bilhões de pessoas.

Pensando nisso, alguns países de mobilizam a fim de tentar combater esse desperdício, por meio de iniciativas inspiradoras que poderiam ser aplicadas em outros países e, especialmente no Brasil, onde a fome afeta 15 milhões de pessoas, conforme pesquisa do IBGE. Veja alguns exemplos inspiradoras de outros países!

  • França

O país se tornou o primeiro do mundo a proibir o desperdício de alimentos em supermercados. A lei adotada no país estabelece que alimentos próximos à data do vencimento, não podem ser descartados, mas devem ser doados a bancos de alimentos ou instituições de caridade. Os supermercados que não respeitam a lei podem sofrer multas de até 75 mil euros ou uma sentença de prisão de até dois anos.

  • Itália

Desde 2016 o país facilita a doação de alimentos por parte de empresas e agricultores a instituições de caridade, na tentativa de reduzir o desperdício. Diferente do que acontece na França, a lei italiana não pune quem desperdiça, mas concentrou-se em incentivos para facilitar a mudança de comportamento das empresas. Uma das ações mais adotadas são campanhas de incentivo para que as pessoas levem para casa os alimentos que não foram consumidos de seus pedidos em restaurantes.

  • Dinamarca

Há três anos funciona, na Dinamarca, um supermercado que só comercializa alimentos vencidos ou fora do padrão de comercialização. Chamado Wefood, a iniciativa é da ONG DCA, que recebe alimentos vencidos, etiquetados de forma incorreta ou com embalagens avariadas. A loja trabalha em parceria com duas das maiores cadeias de supermercado do país, Føtex e a Danske Supermarked, além de mercados locais.

Os produtos comercializados incluem laticínios, carnes, frutas, vegetais, pães e congelados, vendidos a valores de 30% a 50% menores do que os vendidos em mercados comuns. Além de evitar o desperdício, o valor arrecadado com a venda dos alimentos, é utilizado para combater a fome em países como Sudão, Etiopia e Bangladesh.

 

Impactos ambientais do desperdício

Além da questão da fome, o desperdício de alimentos também causa danos ambientais. Isso porque a produção, distribuição, consumo e descarte desses alimentos, demanda uma grande quantidade de energia e recursos hídricos, gerando uma pegada de carbono significativa.

Assim, um terço dos alimentos do mundo a cada ano serem desperdiçados, significa que 3,3 bilhões de toneladas de gases de efeito estufa são liberados de forma desnecessária na atmosfera, isto é, uma poluição que poderia ser evitada. Finalmente, o desperdício de alimentos envolve custos de produção, o que resulta em um custo de cerca de 1 trilhão de dólares por ano.

Fonte: Pensamento verde

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui