A venda de produtos saudáveis cresce 12,7% no último ano e coloca à indústria e varejo o desafio de se adaptar ao novo perfil do consumidor.

Shopper é como o consumidor passou a ser chamado e, conforme pesquisa da Nielsen, faz parte de seu perfil adotar uma vida mais saudável e buscar nos produtos que adquire, especialmente os quesitos de saudabilidade e sustentabilidade. Isso porque sua relação com o meio ambiente e com a saúde se torna muito mais holística e se reflete em estratégias de vendas que precisam ser adotadas na indústria e varejo do país.

Conforme a pesquisa, 55% dos brasileiros vai direto à loja para efetuar suas compras, o que demonstra a praticidade. Além disso, se trata de um público muito mais abastecido de informações, 64% possui smartphone, bem como mais preocupado com a saúde, pois 57% informou ter reduzido o consumo de gordura e 56% reduziu a ingestão de sal.

Esse consumidor também está mais sustentável, já que 42% informa estar mudando seus hábitos de consumo a fim de reduzir o impacto ambiental. Conforme o estudo conduzido pela Nielsen, Estilos de Vida 2019, o meio ambiente figura como uma das dez principais preocupações da população brasileira, perdendo apenas para violência, serviços públicos, aumento no custo de vida, educação e econômica.

73% dos consumidores que buscam produtos saudáveis, afirmam estar dispostos a gastar mais com marcas preocupadas com o meio ambiente, ao passo em que 43% ainda sente dificuldade em encontrar produtos sustentáveis nas lojas. Sobre a saudabilidade, 64% alegam seguir alguma dieta que restringe ou elimina o consumo de alguns produtos ou ingredientes, 44% gostariam de ter mais opções de produtos orgânicos, 26% adotaram uma dieta livre de glúten e 15% uma alimentação sem lactose.

Esse consumidor frequenta o ponto de venda, em média, 27 vezes, com um ticket médio de R$ 29, consumindo uma média de seis produtos por visita. Dentre os canais de venda especializados, 96% prefere as feiras livres e 74% os sacolões e hortifrútis. 60% deles pesquisam sobre os produtos e preços em aplicativos e 79% gosta de interagir com suas marcas preferidas nas redes sociais.

Os produtos saudáveis impulsionam o mercado, com crescimento de 12,7% no faturamento do último ano, o que representa 5% do faturamento total do segmento.

Dentro dele, os nichos de produtos sem glúten/sem lactose, fresco/natural/orgânico e diet/light/zero, são os principais destaques, com 61% da importância atribuída pelo público e contribuindo com um crescimento de 75% na categoria de saudáveis.

Na área de higiene e beleza, as embalagens refil e produtos com ingredientes naturais são os principais destaques, apresentando 18% de crescimento diante do percentual total do segmento, que foi de 3,5%. Para o segmento de limpeza, as embalagens sustentáveis e elementos menos abrasivos são as alternativas preferidas pelo consumidor.

Assim, para um terço da população brasileira o que antes era tendência se torna um hábito, uma vez que a sustentabilidade aparece entre as três principais preocupações do consumidor e 28% dos lares adotam práticas sustentáveis.

Com isso, emerge um desafio à indústria e ao varejo, de diversificar suas estratégias, reformulando produtos, apresentando novos modelos de loja, criando programas de reciclagem e gestão que possam ir ao encontro dessas práticas e atender às demandas desse público.

 

Fonte: Nielsen

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui