Ao passo em que uma parcela da população adere de forma preocupante à dieta norte-americana, baseada em fast-foods cheios de gorduras e alimentos ultraprocessados e quase vazios em nutrientes, outro nicho de mercado surge cada vez com mais força, o de brasileiros que buscam uma alimentação mais saudável.

Visando esse segmento, a rede de restaurantes Boali surge com o ousado projeto de universalizar o acesso à alimentação saudável no Brasil. A rede possui 30 unidades em operação e, apenas no último ano, teve um faturamento de R$ 35 milhões, com prospecção de chegar a 42 quiosques e lojas e faturamento de R$ 45 milhões para o próximo ano.

 

Apostando no crescimento da preocupação com a alimentação saudável nos próximos anos, Victor Ginsante e Fernando Bueno, sócios do Boali, criaram um cardápio que oferece produtos saudáveis para além das tradicionais saladas. Há opções de bowls com quinoa, macarração integral, grelhados e falafel, uma linha de wraps quentes ou frios, além de opções de chás, sucos e sobremesas.

A Boali tem modelos diferentes de franquia, a média de faturamento mensal das unidades é de R$ 135 mil, com margem de lucro variando entre 12% e 15%. Atualmente, o principal foco de expansão dos investimentos é nas dark kitchens, que existem apenas para atender à demanda vinda dos aplicativos de delivery e possuem um custo de R$ 80 mil.

 

Investir em um negócio de alimentação saudável parece propício no mercado atual, pois, conforme um estudo encomendado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), no segmento de food service, empresas de alimentação saudável tiveram um aumento de 25,92% no faturamento de 2018, em comparação a 2017.

Empresas de alimentação saudável tiveram um aumento de 25,92% no faturamento de 2018, em comparação a 2017.

Um dos desafios dessa e de outras franquias que se aventuram no mercado da alimentação saudável, é a infraestrutura brasileira. Isto é, a dificuldade de encontrar fornecedores para atender à demanda de todas as lojas. Um entrave que não permitiu que a Boali, por exemplo, trabalhasse apenas com saladas orgânicas.

De qualquer maneira, o êxito deste segmento de restaurantes lança um raio de esperança ao mundo da nutrição, pois demonstra que cada vez se tem mais opções saudáveis para comer fora de casa, derrubando o estigma de que socializar e se alimentar bem não combinam.

 

Fonte: Revista Exame

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui